Primeira parte

Do suspiro de violetas à salada de chagas, há uma porção de pratos originais e gostosos para fazer com flores. Comer flores não faz mal – desde que saiba o que se come – e pode pelo contrário fazer até certo bem. Já que a comida utilitária de sempre elas aplicam a beleza. Uma guarnição de pétalas de rosas, que são comestíveis, serve por exemplo para enfeitar qualquer prato.

A salada de crisântemos, invenção japonesa, firmou tradição em Paris, onde se ligou ao nome de Alexandre Dumas, promotor de jantares céleres pela inventividade excêntrica.

A receita clássica manda mergulhar os crisântemos, rapidamente, em água quente, escorrer, enxugar e temperar como de hábito: sal, limão ou vinagre, azeite, pimenta-do-reino.

Há sempre cuidados a ter, visto que algumas flores são venenosas ou tóxicas para o homem, pelo que devemos conhecê-las e em caso de dúvida o melhor é não comer. Só devemos consumir as flores cultivadas sem pesticidas ou outros produtos. O seu consumo deve apostar no equilíbrio, ou seja, não comer flores em excesso e variar nas espécies utilizadas (como em toda a alimentação.

Podemos optar por comer só as nossas flores, cultivadas e/ou espontâneas, que existem na nossa horta ou jardim!